Empresa chinesa recebe DUAT para extracção mineira na Zambézia

O Governo moçambicano atribuiu à Empresa de capitais chineses África Great Wall Mining Develompment Company, o Direito de Uso e Aproveitamento de Terra (DUAT), relativo a uma área de 16.463.43 hectares, localizada nos postos administrativos de Maquival, Micaune e Mopeia-Sede, nos distritos de Nicoadala, Inhassunge e Chinde respectivamente, na província da Zambézia, destinada à extracção mineira de titânio, ilmenite e zircão.

A decisão foi tomada na 25ª sessão ordinária do Conselho de Ministros, que aconteceu nesta terça-feira(21). Falando em conferência de imprensa, o Ministro Victor Borges, porta-voz da sessão, referiu que serão investidos 130 milhões de dólares, reassentadas 1600 pessoas.

A África Great Wall Mining Develompment Company é uma filial do Grupo Yuxiao, uma das primeiras empresas chinesas a obter concessões mineiras em Moçambique.

De acordo com a publicação Metalnewsnet, em 2009 o Jinan Yuxiao Group ganhou o direito de explorar 20 minas de zircão em Moçambique e em 2011 o mesmo grupo, proveniente da cidade chinesa de Jinan, ganhou dez direitos de exploração de zircão e 40 de titânio em Moçambique, fazendo dele um dos maiores em África na exploração destes minerais e a maior em Moçambique, segundo a publicação Asian Ceramics.

Em Moçambique a Empresa África Great Wall Mining tem ainda autorizações do Governo para investir em fábricas de cimento em Magude, na Beira, na Matola e em Cheringoma.

Fonte: A Verdade